19 de março de 2019

11 de fevereiro de 2019

Cavernas Serra dos Cocais - Grupo de Espeleologia da Geologia USP



A Serra dos Cocais é lar de um grande número de cavernas formadas em rocha granítica. Trabalhos realizados pelo grupo GESMAR já mostraram algumas cavidades como a Gruta Santa Rita e Espírito Santo. O rico arcabouço espeleológico da Serra dos Cocais prossegue sendo explorado, com descober-tas relevantes sendo feitas todo ano.

Desde 2007, mas com projetos retomados em 2015 e com parceria em campo do EGRiC, o GGeo (Grupo da Geo de Espeleologia - USP) desenvolve trabalhos nas cavidades da Serra dos Cocais. Dentre as mais de 20 grutas en-contradas, duas já foram completamente mapeadas, cinco se encontram no CNC (Cadastro Nacional de Cavernas) e outras tantas estão sendo exploradas e mapeadas.

O GGeo acredita na importância do estudo de tais cavidades, uma vez que, apenas a partir do conhecimento das mesmas, pode-se caminhar rumo à preservação do patrimônio espeleológico brasileiro, eixo ao qual o grupo é ideologicamente a favor.



Formação das cavernas

Diferentemente das "típicas" cavernas de calcário formadas por dissolu-ção da rocha, as cavernas em granito não possuem sua gênese ligada a esse tipo de processo.

O principal fenômeno que permite originar cavernas nessas rochas está relacionado aos depósitos de blocos, chamados depósitos de tálus. Isso ocorre da seguinte forma: o granito – rocha bastante resistente à dissolução – sofre um processo intempérico que tende a torná-lo esférico (ou quase esférico). Com o passar do tempo, esses blocos (que podem ser de diferentes tamanhos) rolam para uma região mais baixa segundo a gravidade. Os "espaços" entre os blocos constituem as cavernas.

Vale ressaltar que a origem de cavernas em granito ainda precisa ser estudada mais profundamente, pois pode haver diferentes tipos de formação.

No entanto, o processo descrito acima desempenha grande papel no caso das grutas exploradas.


Principais cavernas

Mais de 20 cavernas foram identificadas na Serra – que possui potencial para abrigar muitas mais. Dentre essas, destacam-se:

Gruta das Cordas. Até agora, a maior caverna identificada. Com a topo-grafia em andamento, já ultrapassa 300m de desenvolvimento, extensão que, para uma caverna formada em granito, é considerada significativa. A gruta também é diversa em fauna e possui locais com notáveis coralóides.

Gruta da Coxinha. Esta gruta ainda não foi mapeada, nem totalmente explorada, mas já se enquadra como uma cavidade de destaque por apresen-tar amplo desenvolvimento e rica diversidade faunística. Alguns blocos são sustentados por raízes de uma figueira de grande porte, o que oferece um belo cenário ao local.

Gruta dos Sonhos e Gruta do Acampamento. Essas cavernas não pos-suem desenvolvimento tão amplo, porém já foram totalmente exploradas pelo grupo. Também são as cavernas que tiveram a topografia concluída até o mo-mento. No caso da Gruta dos Sonhos, os coralóides são abundantes.

Gruta Santa Rita e Gruta Espírito Santo. Cavernas exploradas e mapea-das pelo grupo GESMAR em trabalhos anteriores.



Fauna e flora nas cavernas

Durante as explorações nas grutas, observa-se que esses ambientes são ricos em fauna. Os animais mais frequentemente encontrados são: ara-nhas, opiliões, grilos e morcegos, além de outros artrópodes e caracóis. Even-tualmente, em cavernas com água, pode-se encontrar pequenos peixes, cuja espécie ainda não foi identificada.

A flora também se faz presente nas cavidades. Em algumas grutas, co-mo é o caso da Gruta das Cordas, as raízes da vegetação superficial permeiam os blocos de granito e podem ser encontradas até em salões e condutos mais profundos. Além disso, há uma intrínseca relação entre a vegetação e as ca-vernas, uma vez que elas são localizadas em áreas de drenagem, que também é onde se concentra a vegetação.


Espeleotemas

Espeleotemas são formações rochosas tipicamente encontradas no inte-rior de cavernas. Apesar da rocha granítica – como é o caso da Serra dos Co-cais – não favorecer a formação de espeleotemas, é possível sim, no interior das grutas, encontrá-los.

Trata-se de espeleotemas do tipo coralóides. São pequenos nódulos de rocha normalmente não maiores que 1cm que lembram a forma de coral (ou de pipoca). Podem ocorrer tanto nas partes do teto quanto no “piso” da caverna, e já foram identificados em diversas cavidades, com abundância e tamanhos va-riáveis. Estudos sobre a formação e composição química desses espeleotemas ainda precisam ser conduzidos.



Futuro

Muito trabalho ainda precisa ser desenvolvido na Serra dos Cocais no que tange à espeleologia. Seja sobre prospecção, cadastro, pesquisas sobre fauna e espeleotemas ou mapeamento, as cavernas da Serra dos Cocais mos-tram-se, a cada ano, mais envolventes e interessantes.

O GGeo tem realizado este trabalho com muito entusiasmo e curiosida-de. E pretende prosseguir, tentando jogar uma luz nas belezas e mistérios con-tidos nas fascinantes cavernas da Serra dos Cocais.

Henrique A. Fernandes Membro do GGeo

Facebook: facebook.com/GGeoUSP

Instagram: @ggeo.usp E-mail para contato: ggeo.usp@gmail.com



27 de novembro de 2018

Festival da Agroecologia e Ecoturismo

Festival da Agroecologia e Ecoturismo na Serra dos Cocais, será no CEFOL, veja a programação abaixo: 



O CEFOL (Centro de Formação e Lazer do Sindicato dos Químicos Unificados), localizado no km 118 da Rodovia Dom Pedro,  em Valinhos, recebe nos dias 1 e 2 dezembro, o 1º Festival de Agroecologia e Ecoturismo do Leste Paulista.
Com uma vasta programação aberta ao público, com ingresso a preço popular de R$ 10,00, o evento  terá oficinas, mesas de debates, feira de produtores, caminhada ecológica e atrações culturais.
Num cenário de belíssima natureza, os visitantes poderão participar ainda da oficina de abelha sem ferrão, oficina de agroecologia para iniciantes, oficina de comercialização da agricultura familiar e, no sábado, às 20 horas, haverá um show com a apresentação do músico Pereira da Viola.
O evento acontece no CEFOL, que fica na Rodovia Dom Pedro I, km 118 s/n – Dos Lopes, Valinhos).
Confira a programação completa:
Sábado 01/12/2018
9h às 18h – Feira de produtores
Produtores da Feira Livres
Produtores do Vale do Ribeira
Produtores de Itapeva
Cooper Natural RS – Chopp Orgânico e Outros Produtos
Armazém do Campo
Outros Produtores
9h às 16h – Caminhada Ecológica
9h Trilha da Figueira (20 pessoas)
09h30m Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
10h30m Trilha da Figueira (20 Pessoas)
11h Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
14h Trilha da Figueira (20 pessoas)
14h30m Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
15h30m Trilha da Figueira (20 Pessoas)
16h Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
10h às 18h – Troca de Sementes Crioulas
Para abrilhantar ainda mais nosso evento teremos um espaço de trocas de sementes crioulas, como forma de fugirmos do domínio das sementes das multinacionais que monopolizam o mercado. Trocar sementes implica também em trocar saberes e formas de cultivo. Participe você também! Traga sua semente!
10h às 12h30 – Oficinas
Oficina de pães
Abelhas sem ferrão – meliponicultura para iniciantes
Agroecologia para iniciantes
09h às 15h30 – Encontro sobre Articulação Paulista de Agroecologia
Articulação Paulista de Agroecologia
12h30 às 13h30 – Almoço – Barracas com Comidas Orgânicas
13h30 às 16h – Oficinas
Galinhas felizes
Construção de Pólos de Ecoturismo – experiência de São Paulo
Comercialização na agricultura familiar (PNAE, PAA)
16h30 às 19h – Mesa de Debates
Os desafios da agroecologia e o ecoturismo em São Paulo e no Brasil
20h – Atrações Culturais
20h | Show Pereira da Viola
Domingo 02/12/2018
9h às 12h – Feira de Produtores
Produtores da Feira Livres
Produtores do Vale do Ribeira
Produtores de Itapeva
Cooper Natural RS – Chopp Orgânico e Outros Produtos
Armazém do Campo
Outros Produtores
9h às 16h – Caminha Ecológica
9h Trilha da Figueira (20 pessoas)
09h30m Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
10h30m Trilha da Figueira (20 Pessoas)
11h Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
14h Trilha da Figueira (20 pessoas)
14h30m Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
15h30m Trilha da Figueira (20 Pessoas)
16h Trilha da Cascavel (20 Pessoas)
10h às 12h30 – Oficinas
Formação de redes e mercados sociais
Alimentação saudável e consumo responsável – Descolonizando estômagos
Cultivo de hortas – Plantas alimentícias não convencionais
10h às 12h30 – Troca de Sementes Crioulas
Para abrilhantar ainda mais nosso evento teremos um espaço de trocas de sementes crioulas, como forma de fugirmos do domínio das sementes das multinacionais que monopolizam o mercado. Trocar sementes implica também em trocar saberes e formas de cultivo. Participe você também! Traga sua semente!
12h30 às 13h – Lançamento da Plataforma Rede Livres Produtos do Bem
13h às 14h – Almoço – Barracas com Comidas Orgânicas
14h – Encerramento
Fonte: pedefigo.com 

30 de agosto de 2018

ECOTURISMO NA SERRA DOS COCAIS

O projeto foi vetado pelo Prefeito Orestes Previtale e o veto garantido pela Câmera de Vereadores
vereadores-garantem-veto-do-prefeito-ao-ecoturismo-na-serra-dos-cocais

ECOTURISMO NA SERRA DOS COCAIS

Foi aprovado por unanimidade na sessão desta terça-feira (28) projeto de lei do vereador Henrique Conti (PV) que pretende criar um polo de ecoturismo na Serra dos Cocais. Se for sancionado pelo prefeito Orestes Previtale (PSB), bairros localizados na região seriam considerados áreas de interesse turístico. Segundo o vereador, o objetivo é estimular o desenvolvimento da agroecologia e do turismo sustentável, além de conscientizar a população sobre a necessidade de preservação do meio ambiente. Saiba mais no link abaixo:

http://camaravalinhos.sp.gov

28 de agosto de 2018

Redução do Desconto no IPTU para Áreas Verdes

É um absurdo que a Prefeitura de Valinhos esteja propondo a redução do desconto no IPTU para manutenção de áreas verdes no município, já que este é o único incentivo financeiro para a preservação ambiental em Valinhos.

Enquanto organizações no mundo inteiro discutem formas de implantar mecanismos de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA), a Prefeitura de Valinhos vai na contramão ao propor a eliminação de um mecanismo, que é o único benefício existente para quem mantém a arborização urbana e cobertura vegetal da nossa cidade.

Este incentivo, que representa atualmente 0,3% da arrecadação municipal, é um investimento do município que traz benefícios ao cidadão em termos de sensação térmica pela arborização urbana e captação de água proporcionada pela manutenção da cobertura vegetal.

O argumento defendido pelos proponentes deste projeto de Lei considera apenas o que a Prefeitura está deixando de arrecadar, sem levar em conta os benefícios para a cidade, mantendo estas áreas verdes e permeáveis.

Para uma avaliação mais aprofundada deste projeto de lei, duas perguntas são fundamentais:
- Quantos m2 de área verde estão sendo preservados por esta lei?
- Qual será o impacto na produção de água (água que já é escassa), caso estas áreas não sejam mais permeáveis?

No projeto de lei, além da redução no desconto, estão dificultando a solicitação com mais burocracias, a ponto de inviabilizar o desconto para muitos casos, por não valer a pena, porque o gasto com a burocracia será maior que o desconto que vai gerar.

Esperamos que nossos Vereadores não permitam que esta lei entre em vigor. Vamos preservar a qualidade de vida de Valinhos.

Veja a reportagem da EPTV abaixo:

https://globoplay.globo.com/

24 de agosto de 2018

Revisão Plano Diretor - Aspectos Ambientais


Segue convite para participar da revisão do Plano Diretor, no debate sobre os Aspectos Ambientais e Saneamento Básico. 
A manutenção da Serra dos Cocais como área de preservação e recuperação de mananciais é essencial, é também urgente políticas de incentivo econômico para a região.      
Dia 29 às 18h, na Prefeitura.   





8 de agosto de 2018

Vamos preservar nosso Manancial de água - Audiência Pública Plano Diretor

Marcadas as datas das consultas públicas para atualização do plano diretor. Muito importante a participação de todos para preservar nosso Manancial de água, a Serra dos Cocais e outras regiões da cidade estão em jogo. Participem !

Vamos preservar nosso Manancial - Não aos loteamentos predatórios na Serra dos Cocais.




20 de junho de 2018

Nova Diretoria

Diretoria eleita para o bienio 2018/2019

Presidente:  Vera Lucia Soveral da Silveira (Vera Sus)
Vice-presidente: Lilian G. Chaves 
Primeira Secretaria: Marcela C. Paranhos
Segundo Tesoureiro: André Luiz S. Pinto   
Primeiro Tesoureiro: Henrique Conti
Segundo Tesoureiro: Davi R. Chaves 
Diretor Jurídico: Miguel P. Netto
Diretor de Comunicação: Dalmace Capell Neto 

  
-->

8 de junho de 2018

Assembléia Geral - Eleição Diretoria

Prezados Amigos da Serra dos Cocais,

Convidamos todos para participarem da Assembléia Geral, dia 16/06, às 10:30, no Centro Comunitário o Country Club. Rua Gervasio Manoel Candido (atrás da igreja Comunicada Nossa Sra. Aparecida).

Obrigado

Lilian Gonçalves Chaves
Presidente

2 de agosto de 2017

Desmatamento Valinhos

Segue reportagem sobre desmatamento e condomínios irregulares em Valinhos, com entrevista com a Presidente da Assoc. Amigos da Serra dos Cocais, Lilian Gonçalves Chaves:



12 de abril de 2017

Assembléia Geral

Prezados Amigos da Serra dos Cocais,

Convidamos todos para participarem da Assembléia Geral, dia 21/04, às 10:00, no Clube de Campo Valinhos.

Favor confirmarem presença informando nome e RG para liberação na portaria do Clube pelo e-mail serradoscocais@hotmail.com

Obrigado

Lilian Gonçalves Chaves
Presidente

8 de abril de 2017

Custo Ambiental loteamento Fonte Sonia

O loteamento da Fonte Sônia custa muito caro para Valinhos, faça como o estudo abaixo e coloque os ganhos ambientais na conta. A Fonte Sônia além de fazer parte da história de Valinhos, contribui muito para o abastecimento de água e equilíbrio ambiental.







16 de janeiro de 2017

Equilibrar o desenvolvimento com preservação garante a água

Segue matéria publicada no Jornal de Jundiaí, com o o pesquisador Afonso Peche Filho, sobre a importância da preservação para o abastecimento público eficiente.

A Serra dos Cocais tem esta vocação de grande produtor de água para região, vamos preservar e recuperar este potencial.

Veja aqui a matéria